quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Dicas de Economia e Finanças

DIRETO DAS EDITORIAIS
Destacamos aqui algumas regras básicas para ter uma vida financeira saudável

1- TENTE NÃO GASTAR ALÉM DO QUE GANHA
Parece algo óbvio, mas é uma regra que a maioria das pessoas que acumulam problemas com dívidas não segue. E não basta apenas enquadrar o orçamento doméstico na renda familiar. É preciso também deixar uma folga para eventuais imprevistos. Quem consegue preservar ao menos uma pequena parte do salário todos os meses sofre menos na hora de qualquer aperto inesperado, ao passo que, (quem está sempre no limite ou acima dele), certamente cai ter de recorrer a empréstimos para conseguir livrar a barra nesses momentos. E aí a situação, que já era feia, fica pior ainda.
2- FIQUE ATENTO AOS SEUS MOVIMENTOS
Outra dica bastante básica, mas que a maioria das pessoas deixa para lá: saber exatamente para onde o dinheiro está indo. Ter noção exata de cada gasto, mesmo os aparentemente insignificantes, ajuda muito a manter o controle, (segue modelo de planilha abaixo), “utilize-a como forma de controle para anotar todos os gasto no decorrer do mês e certamente você vai se surpreender com o quanto gasta com determinados hábitos que considerava inofensivos à sua saúde financeira”. Tendo esse levantamento em mãos, fica bem mais fácil seguir a próxima dica que é basicamente planejar.
3- PLANEJE SEU FUTURO
Você sabe o que pretende adquirir no futuro? Um Carro? Uma Casa? Guardar dinheiro para a educação dos filhos? Ou então abrir um negócio próprio quando chegar a aposentadoria, ou antes? SE você ainda não tem uma resposta para essas perguntas, é bom começar a pensar nelas, pois saber quanto custam seus sonhos torna mais fácil a tarefa de alcançá-los. Não precisa se assustar com os valores. Com paciência e disciplina, é absolutamente possível chegar lá. Caso tenha alguma dificuldade para planejar, peça ajuda. Fale com o gerente do seu banco, tire dúvidas com amigos que já tenham alcançado objetivos semelhantes, ou profissionais do setor e é bem provável que eles poderão lhe mostrar alguns atalhos e oferecer informações preciosas para que alcance seu objetivo.
4- POUPE O MÁXIMO QUE CONSEGUIR
Quando sobra algum dinheiro a tentação de consumir aumenta a todo o tempo. Antes de sair fazendo compras, porém, faça um exame detalhado de suas necessidades. Será que aquele objeto desejado é mesmo necessário naquele momento? Em que sua vida vai melhorar com a pose dele? Será que não é melhor deixar esse dinheiro no banco para enfrentar alguma situação inesperada? Mesmo que seja uma pequena quantia ela pode fazer a diferença em outro momento de sua vida (ou até mesmo para ajudar a realizar aquele sonho ou para tapar algum buraco).
5- MANTENHA-SE SEMPRE BEM INFORMADO
Você comprou uma geladeira nova no crediário. À vista ela sairia por R$ 800,00, mas você vai pagar 12 prestações de R$ 80,00. Você sabe quanto, afinal, vai pagar por esse aparelho? A conta é bem simples, mas muita gente presta atenção apenas no valor da mensalidade e deixa de fazê-la. No nosso exemplo o total sairia simplesmente por R$ 960,00. Sendo assim, será que não vale a pena esperar um pouco, juntar o dinheiro e só então realizar a compra economizando R$ 160,00 da diferença. Claro que sim. O mesmo acontece com o cartão de crédito, o cheque especial (Que costumam ter taxas de juros salgadas), ou qualquer outro tipo de financiamento. Antes de assumir qualquer dívida, faça essa conta. E, além disso, procure saber as condições exatas do contrato. Muitas vezes, determinadas taxas e multas são embutidas na parcela sem que o consumidor se dê conta, por isso, não tenha vergonha de perguntar cada detalhe. Você nunca vai se arrepender de estar bem informado, e não custa nada.

6- ESTÁ ENDIVIDADO? RENEGOCIE

Se você está numa situação financeira complicada, não deve se envergonhar disso, pois é um problema que a maioria das pessoas já enfrentou ou está enfrentando. Em vez de se esconder dos credores e/ou tentar soluções mágicas, o melhor a fazer é enfrentar o problema de peito aberto e cabeça erguida. Tome a iniciativa de procurar os credores e tente renegociar o débito. Por exemplo, combine um novo prazo que lhe dê tempo para reunir o capital necessário para começar a quitar a dívida. Se tiver vários credores o melhor a fazer é pegar um novo empréstimo o quitar as dívidas. Assim fica mais fácil administrar a situação. Mesmo que seu nome já esteja no SPC, sempre há uma solução possível e nunca deixe de tentar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário